OS BANQUEIROS E O PODER

Desde sempre Poder e dinheiro estão associados.

Guerras eram financiadas pelos banqueiros que, usualmente, financiavam os dois lados para ter a certeza de receber seu juro e seu dinheiro de volta. Os vencedores assaltavam os cofres públicos e pagavam os banqueiros.

A história sempre mostrou esse comportamento. Desde sempre. Nada mudou.

Recentemente o presidente do Conglomerado Itaú Unibanco manifestou sua opinião sobre a manutenção da Presidente Dilma no Poder. Houve indignação geral. Mas deve haver ao menos uma razão.

Recordo-me de uma indagação que fiz ao Prof. Paulo Rabelo de Castro, em uma apresentação durante evento do Partido NOVO, quando falou que não há governo grátis.

Apresentei meu pensamento:

  1. vivemos desde 1964 um processo de conjunção de interesses. Os nacionalistas, devido a ausência de capitais locais para grandes empreendimentos, incentivaram a criação de estatais. Os tecnocratas, para não perder o seu poder de condução de processos decisórios, não abrem mão do Estado ser o provedor da infra-estrutura e, quando abrem, usam de PPP’s, sob seus comandos, com intervenção estatal. Os socialistas, por razões óbvias, demandam ser o Estado o único provedor de infra-estrutura.
  2. Além disso, também unindo nacionalistas, socialistas e tecnocratas há o financiamento público a empresas brasileiras para as PPP’s. Daí o BNDES ser o maior banco de desenvolvimento do mundo.
  3. Isso tem atrasado o Brasil porque o Estado não tem capitais para fazer frente às necessidades da infra-estrutura, sem contar que o ciclo de nascimento de um simples viaduto no Brasil, graças à complexa burocracia, é de cerca de 9 anos. Mesmo que houvesse capitais a burocracia não permitiria o rápido desenvolvimento econômico do país.
  4. Portanto, mesmo que a demanda por bens e serviços seja maior que a oferta não podemos oferecer mais para a população porque não há infra-estrutura adequada para prover os particulares para produzir mais e satisfazer a demanda.
  5. Resultado: o controle da inflação sempre se faz com a redução da demanda mediante aumento de juros, juros elevados, em patamares extorsivos, enriquecendo banqueiros de forma injusta e às custas do suor da população.

Então perguntei: os banqueiros são cúmplices ou ativos atores desse jogo contrário aos interesses nacionais?

Disse o Prof. Paulo Rabelo de Castro que os banqueiros estão apenas aproveitando a onda.

Quando me recordei das palavras do Prof. Rabelo de Castro tudo ficou claro porque o presidente do conglomerado Itaú Unibanco defendeu a permanência da Presidente Dilma. Os banqueiros estão aproveitando a onda…, desde 1964…

E assim o Brasil caminha sacrificando o povo e lhe roubando o futuro, pago com muito sangue, suor e lágrimas…

Está na hora de devolver o Poder ao Povo!

2 ideias sobre “OS BANQUEIROS E O PODER

  1. Excelente. Só não concordo que eles estejam apenas na onda. Acho que eles os elegem . A Marina Silva é apoiada por eles. Ele será de longe a pior presidenta do país caso entre. Muiiito pior que a carrasca Dilma. E ainda por cima, se faz passar por cristã – essas são mil vezes piores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *